Foto: Rosana é serva no GO Santuário da Fé, da Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima

Confesso que já vivenciei várias experiências no meu processo de cura e a cada “sim” dado ao Senhor através dos retiros da Comunidade Água Viva, essa que me auxilia a “tocar o céu”. O retiro “Cura das Emoções” em especial, foi impactante! Eu tive a graça de experimentar a cura no meu psiquismo, e principalmente neste templo que sou eu.

A cada unção ministrada com louvor, foi adentrando e me permitindo abrir portas e janelas do meu interior. Momentos profundos e cheios de significados em minha história. A cada tenda, uma verdade brotava dos meus olhos. A respiração? Um pouco ofegante. Porém, sentia o Senhor me dando uma nova oportunidade de respirar.

A beleza da presença do Senhor me permitiu naquele momento tirar as máscaras, as vestes que não me permitiam sentir o abraço do Pai. Quanta riqueza em estar dentro de um abraço e sentir o perfume e o aconchego de um ventre materno, de Maria. Quantas curas nos afetos!

Eu experimentei a POTÊNCIA que eu sou nos braços de quem nunca me abandonou. Experimentei e vivenciei que a criança que há dentro de mim começou a crescer, correr e sair das paralisias.

Quão grandioso entender que eu posso dar passos…O barro? Mesmo frio e molhado me permitiu ser moldado com a verdade. Admito que fiquei um pouco assustada, mas a maturidade do abraço me sustentou e me fez ter coragem e ousadia em perdoar as pessoas do meu passado.

Aprendi que em tudo Deus fala! Eu sempre fico muito atenta ao que Deus quer me falar.
Dinâmicas? Não, respostas de Deus! A cada resposta uma profunda cura interior. Achei que não daria conta de tantas “dinâmicas”, entretanto foi libertador!

O meu passado estava tão suave e leve, que abraçou o meu presente com tanto amor e respeito, que decidiram dar as mãos ao meu futuro. Encantador sentir e ser impactada com a beleza e grandiosidade do Senhor em resgatar minha dignidade de filha ILUMINADA e AMADA.

A festa continua… As lembranças estão registradas e podem ser admiradas em minha face e na minha essência.

No momento em que a fundadora Raquel Carpenter e a cofundadora Adriana Madalon relataram em depoimento sobre o sítio da Comunidade Água Viva, o Senhor me fez recordar que há 10 anos eu tive a oportunidade de conhecer esse sítio em um Retiro de Mulheres.

O local do retiro não era o mais belo, as telhas estavam danificadas e a aparência do sítio bastante deformada. No exato momento da pregação, começa um temporal. A chuva alagava os meus pés, os consagrados com baldes tentavam amenizar as cachoeiras que escorriam das telhas para que não nos molhássemos.

Naquele exato momento, me senti como aquele sítio. O processo de “reformas”, que aqui chamo de curas, foi sendo realizado e o “sítio” começou a exalar a beleza e a dignidade de ser livre. “Hoje o sítio está belo, mas ainda tem muita coisa para o Senhor fazer”, disse a fundadora Raquel Carpenter.

Eu digo, o “sítio” (que sou eu) é lindo e a cada retiro, a cada “sim” ao Senhor, eu vou sendo resgatada. Ainda tem muito para ser arado, mas eu entendi Adriana Madalon (cofundadora), que precisou ser com a inchada para que o Senhor pudesse tocar na raiz, para que essa terra produzisse flores (felicidade), gramas (liberdade) e muitos frutos que saciam a minha vida (salva).

Eu não sou consagrada dessa comunidade, mas a mesma me ensinou e me ensina, que sou convidada a ser ÁGUA VIVA no mundo com a minha vida.

Sem palavras para expressar o zelo e o amor da minha monitora, pós-retiro para comigo. Sou eternamente grata ao Senhor pelo “sim” dos meus irmãos e pela belíssima oportunidade de poder testemunhar que eu sou FELIZ, LIBERTA E SALVA para viver o meu hoje.

Eu sou um belíssimo “sítio”!

Rosana Apolinário


Envie seu testemunho para a nossa redação através do e-mail redacao@portalcatolico.es

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.