Foto: Barco Hospital Papa Francisco / CNBB

Missão, caridade, comunhão e solidariedade. São várias as palavras que podem tentar definir as motivações e os simbolismos em torno da mais emblemática embarcação que cruza desde setembro as águas do rio Amazonas. “Estamos diante de um milagre”, disse o bispo de Óbidos (PA), dom Bernardo Johannes Bahlmann, quando recebeu o Barco Hospital Papa Francisco na primeira viagem do barco de 32 metros de comprimento após sair do estaleiro de Fortaleza, rumo à diocese paraense.

O milagre a que se refere dom Bernardo é fruto dos quatro substantivos citados acima. A missão foi confiada pelo Papa Francisco, quando visitou o Brasil por ocasião da Jornada Mundial da Juventude Rio 2013. Na ocasião, estava em um hospital mantido pela Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus e perguntou ao superintendente, frei Francisco Belotti, se já atuavam na Amazônia. Diante da negativa, os enviou em missão.

O grupo que já prestava serviços de saúde em mais de 70 hospitais espalhados Brasil afora, ampliou sua atuação caritativa para o lugar indicado pelo Papa.

“Vendo a necessidade do nosso povo, o abandono do nosso povo no Oeste do estado do Pará e, sobretudo, a fragilidade da saúde na nossa região da Amazônia, o frei teve essa ideia junto comigo de ter um barco hospital”, conta dom Bernardo Bahlmann.

Foto: dom Bernardo Bahlmann no comando do barco / CNBB

“Da mesma forma que o rio Amazonas, o Barco Hospital Papa Francisco não se tornou realidade em razão dos esforços de apenas uma pessoa, mas sim é fruto da dedicação e do trabalho de milhares de pessoas”, compara Francisco Belotti.

Sinal de comunhão e convergência de esforços e propósitos, o projeto do barco hospital nasceu a partir da presença da Associação e Fraternidade São Francisco de Assis no território da diocese de Óbidos, onde assumiu dois hospitais.

O sinal da solidariedade remete à aplicação dos recursos para a concretização do projeto, oriundos da ação judicial contra as empresas Shell/Basf, condenadas pela contaminação do solo e do lençol freático na região de Paulínia (SP). A indenização de 200 milhões de reais por dano moral coletivo foi destinada a entidades de pesquisa e medicina a partir de análise de projetos pelo Ministério Público do Trabalho.

O barco hospital foi uma das oito iniciativas selecionadas para receber os recursos. De acordo com o Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, foram destinados R$ 24.509.488,35, que foram utilizados na construção do barco hospital e R$ 696 mil para uma “ambulancha”.
Foto: Consultório no barco / CNBB

Atenção aos ribeirinhos – Em agosto, durante a bênção e inauguração oficial do barco hospital, realizada em Belém (PA), o arcebispo metropolitano, dom Alberto Taveira Corrêa, falou da missão confiada por Deus à humanidade de cuidar da natureza e das pessoas umas com as outras: “A Igreja sempre descobriu e continua a descobrir as formas desse cuidado, especialmente com a vida das pessoas. E para nós na Amazônia, esta é uma imensa responsabilidade”.

O frei Francisco Belotti recorda as Obras de Misericórdia inseridas na vocação da vida religiosa consagrada, num duplo caminho de entrar na Igreja para aprender a amar e sair para servir. Atuar na assistência à saúde para ele é corresponder à missão dada por Cristo: “a partir daí, quando o governo participa com o dever e nós com a missão, o povo de Deus ganha muito”.

O Barco Hospital Papa Francisco também contará com a atitude voluntária de profissionais de saúde dispostos a dedicar seus dons às populações ribeirinhas do oeste paraense.
Foto: CNBB
Como funciona – O projeto pretende atender mais de mil comunidades ribeirinhas e cerca de 700 mil pessoas, com dois hospitais de apoio e abrangência em doze municípios que margeiam o Rio Amazonas (Alenquer, Almerim, Belterra, Curuá, Faro, Juruti, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Prainha, Santarém e Terra Santa). De acordo com dom Bernardo Bahlmann, o barco deve funcionar duas semanas durante o mês nas comunidades e nas outras duas semanas ficará no porto de Óbidos.
Foto: Registro do dia da entrega da chave do Barco Hospital a Dom Bernardo Bahlmann / CNBB
Ficha técnica:
• 32 metros comprimento
• 23 profissionais da área da saúde (contratados e voluntários)
• Capacidade para até 30 tripulantes
• Salas e serviços: raio-x, mamografia, ecocardiograma, teste ergométrico, sala cirúrgica, laboratório de análises, farmácia, sala de vacinação, consultórios médicos, consultório oftalmológico e odontológico, e ainda, leitos de internação.

Da Redação com CNBB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.